Super User - NURBA - Núcleo de Estudos Urbanos Regionais e Agrários

Do Correio da Cidadania

O economista Plinio de Arruda Sampaio Jr. em entrevista ao Correio, retoma a discussão da crise econômica internacional com a avaliação do seu verdadeiro, dos movimentos contestatórios que se espalharam mundo afora e, especialmente, da situação real hoje existente no Brasil para encarar o cenário econômico  - bem distante, segundo o economista, daquela que nos querem fazer crer os órgãos oficiais e a mídia associada.

A crise econômica internacional, que explodiu em 2008 e voltou a mostrar a sua contundência no ano que passou, com a quase bancarrota de vários países europeus, parece estar dando ares externos de arrefecimento, após a imposição de duros pacotes de medidas fiscais aos inadimplentes. Salienta-se, por outro lado, diuturnamente, que o Brasil estaria preparado para lidar com o agravamento da crise e uma eventual fuga de capitais, em função de possuir reservas externas em proporção significativa para o enfrentamento de uma turbulência. Ao mesmo tempo, sabe-se que, em função das altas taxas de juros praticadas internamente, houve uma nova avalanche de entrada de recursos externos no ano que passou, impactando no crescimento do endividamento externo privado de curto prazo e em aplicações de curto prazo no mercado financeiro.

Cerca de 2 mil policiais militares foram destacados para retirar os ocupantes. O efetivo contou ainda com soldados da Guarda Civil Metropolitana da cidade. A invasão militar no Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), neste domingo, 22. Informações de comunicadores populares falam em quatro mortes e outros que foram feridos e estão desaparecidos.


Foto: Roosevelt Cassio/Reuters

Confira os links abaixo:
- Pinheirinho: a vida não vale
- PM expulsa moradores do Pinheirinho
- Nota do PSOL Nacional: Parem a desocupação
Em operação de guerra, 2000 policiais avançam para desocupar Pinheirinho

Page 1 of 8

Apoio